Postagem em destaque

PRESIDENTE DO CPC/RN TENTARÁ CONCLUIR DOCUMENTÁRIO SOBRE PRÉDIOS ANTIGOS DAS CAPITAIS DO NORDESTE AINDA ESSE MÊS!

Fotos: Google CENTRO POTIGUAR DE CULTURA - CPC/RN Eduardo Vasconcelos, presidente do Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN, t...

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Parque Nacional do Iguaçu vive expectativa de quebrar recorde de visitantes em 2017

29_11_17_cataratasIguacu2_ascomParqueIguacu

Parque Nacional do Iguaçu, detentor do título de uma das Sete Maravilhas do Mundo – as Cataratas do Iguaçu -, está perto de bater um recorde histórico no que diz respeito ao recebimento de turistas. A expectativa é de que a unidade de conservação ultrapasse, até o fim de 2017, seu maior número de visitantes: um milhão e 642 mil visitantes.
De janeiro até a última segunda-feira (27), o local já recebeu um milhão e 602 mil pessoas, demonstrando um crescimento de 15% se comparado ao mesmo período do ano anterior. O fato de ainda faltarem pouco mais de 30 dias para o final do ano comprova que o recorde deverá ser quebrado.
Considerado número 1 no ranking de atrativos naturais, nos últimos três estudos de competitividade do Turismo do Fórum Econômico Mundial, o Brasil deve comemorar um crescimento de 11,5% no número de visitantes em parques nacionais brasileiros, de acordo com o Euromonitor International, organização voltada para análises de mercado. A expectativa é que o ano termine com os parques tendo recebido 7,8 milhões de pessoas.
Somente os quatro parques concedidos atualmente no Brasil – Parque Nacional do Iguaçu, Parque Nacional da Tijuca, Serra dos Órgãos e Fernando de Noronha – foram responsáveis por 68,7% do total de visitantes em 2016 – 7,031 milhões -, o que mostra o sucesso da iniciativa. Por esse motivo, Ministério do Turismo tem discutido junto ao Ministério do Meio Ambiente a concessão dos parques nacionais para estimular o aproveitamento de todo o potencial turístico das unidades. O país conta com 72 parques nacionais.
A administração do Parque Nacional do Iguaçu já comemora os novos números. “Esse recorde que se aproxima é resultado de uma junção de fatores: a beleza das Cataratas, que atrai por si só os turistas; a organização do Parque para receber as pessoas de forma adequada; a estrutura turística de Foz do Iguaçu, que faz com que a cidade esteja apta para amparar turistas de diferentes culturas; e as estratégias de divulgação do destino não só para turismo interno como para os demais países”, ressalta Ivan Baptiston, chefe do Parque Nacional do Iguaçu.
TURISMO E RENDA – Tendo como atração principal as Cataratas do Iguaçu, o Parque Nacional do Iguaçu é o segundo mais visitado do país, ficando atrás do Parque Nacional da Tijuca (RJ), que recebe mais de três milhões de visitantes por ano.  Ele é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão federal responsável pela administração das unidades de conservação do Brasil. Desde 1999, o local conta com os serviços de visitação turística do Grupo Cataratas.
O Parque Nacional do Iguaçu fomenta turismo não só pelas Cataratas, mas por ser amplo em biodiversidade de fauna e flora. Criado em 1939, o local movimenta a economia dos 14 municípios que estão ao seu redor e é considerado um santuário ecológico por ter a responsabilidade de proteger algumas espécies ameaçadas de extinção, como a onça-pintada, o puma, o jacaré-de-papo-amarelo e o gavião-real.
BRASIL CULTURA

Turismo participa de encontro de cidades históricas

Pirenópolis0176
O Ministério do Turismo marcou presença no amplo debate sobre desafios e oportunidades para o turismo nas cidades históricas e patrimônios naturais e culturais que ocorre até 30 de novembro, em Foz do Iguaçu (PR). Trata-se do Diálogo Municipalista e do 4º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas e Patrimônio Mundial que reúne representantes de instituições públicas e privadas, prefeituras e de países sul americanos.
Na abertura do evento, organizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o secretário executivo do MTur, Alberto Alves, falou sobre as iniciativas da Pasta em prol preservação do patrimônio cultural brasileiro, gestão dos destinos e apoio às cidades históricas. São mais de R$ 230 milhões investidos na restauração de prédios históricos, implantação e recuperação de museus, revitalização de centros históricos, implantação de vias de acesso a atrativos culturais, entre outras obras.
“Sabemos da importância dos atrativos históricos para alavancar o turismo no nosso país. Por isso, encaminhamos na última semana ao TCU o Plano de Ação para Formulação de uma Política Nacional de Gestão Turística de Sítios Declarados Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade. Seu conteúdo, bem como o detalhamento dos próximos passos para implementação dessa política serão debatidos aqui neste encontro e estamos confiantes do sucesso deste debate”, afirmou Alberto Alves.
Cultura Brasil