Postagem em destaque

Os livros encaixotados em Palmeira dos Índios e o legado de Graciliano

Palmeira dos Índios virou notícia nacional, com a divulgação, pela Controladoria Geral da União (CGU), de que mais de 13 mil livros estão...

sábado, 16 de setembro de 2017

TV Cultura é dona de acervo sobre a TV Tupi mas não o utiliza


Logo da Cultura (Foto: Reprodução)
A TV Cultura, rede de televisão pública brasileira com sede em São Paulo, é dona de um acervo que deixaria qualquer fã de TV maravilhado. É que além do seu enorme acervo acumulado durante os 57 anos de fundação, a emissora possui um raro material da extinta TV Tupi.
Para quem não sabe, a Rede Tupi foi a primeira emissora de televisão do Brasil, da América do Sul e a quarta do mundo, fundada em 1950 em São Paulo por paraibano Assis Chateaubriand.
Desde 1999, as concessões da Tupi pertencem à RedeTV!. A Tupi encerrou suas atividades bem antes, em 1980, com a cassação de sua concessão.
No entanto, como informa o jornalista Flávio Ricco, a TV Cultura tem guardadas muitas fitas da extinta Tupi. No entanto, por alguma razão não utiliza esse material, além de sempre criar dificuldades para quem deseja usar.
Curta o TV Foco no Facebook!

Fonte: Matéria publicada no site http://www.otvfoco.com.br, em 07/09/2017, por Vinícius Carvalho

Ouça “História Hoje”15/09: Criador do herói Raio Negro, ontem morria há nove anos

Raio Negro
Vamos lembrar o trabalho do desenhista e criador de histórias em quadrinhos, Gedeone Malagola, que morreu de infarto em 2008, aos 84 anos.
Malagola foi um dos mais importantes e produtivos roteiristas brasileiros.
Apresentação Carmen Lúcia
ANTES DE OUVIR O ÁUDIO DESLIGUE O SOM DA RÁDIO BRASIL CULTURA NO TOPO DA PAGINA
 Aprendeu a desenhar ainda menino com o pai, o imigrante italiano e pintor Calixto Malagola. Paulista, formado em direito, chegou a cursar arquitetura.
Como desenhista, ilustrou textos em diversas revistas e como criador deu vida a personagens que marcaram época.
Em cinquenta anos de carreira, escreveu mais de mil e quinhentas histórias em quadrinhos, inclusive de personagens conhecidos, como o super-herói da TV – He-Man.

GedeoneMalagola
Apesar de atuar como delegado de polícia, fazia HQ para ganhar um troco e por que gostava de desenhar. Foi com lápis, nanquim e papel na mão que se sentiu realizado. Acabou passando por diversos gêneros mas, alcançou sucesso mesmo com os super-heróis e, principalmente, foi pioneiro com o quadrinho de terror com as séries O lobisomem e a Múmia.


Gedeone é responsável pela criação de alguns dos poucos super-heróis brasileiros da década de 60. Raio Negro é o mais conhecido deles. Conta a historia de um piloto espacial que após salvar um alienígena é presenteado com um misterioso anel feito da energia magnética de Saturno. O anel emitia raios que lhe davam poderes.
Criou Capitão Astral, inspirado em Star Pirate, da revista Planet Comics da editora Fiction House. Capitão Astral também era publicado no jornal A Folha do Povo.
Homem Lua e Hydroman, super-heróis com aventuras publicadas pela Gráfica Editora Penteado, também foram criados pelo quadrinista. O Homem-Lua surgiu a partir de uma história produzida por Gedeone e protagonizada pelo Fantasma, de Lee Falk.
Todos eram baseados fortemente nos heróis norte-americanos que faziam sucesso no Brasil.
Ao lado de Maurício de Sousa, integrou a Associação de Desenhistas de São Paulo. Gedeone Malagola deixou de herança um rico material de histórias em quadrinhos.
Sonoplastia: Messias Melo
História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira.
Fonte: Brasil Cultura
Adaptado por Eduardo Vasconcelos