Postagem em destaque

PARELHAS/RN: IV FESTIVAL DE QUADRILHAS "ARRAIÁ ZEEZIM MEU VÉI" FOI MARAVILHOSO!

 1º Lugar Nação Junina - 48,3 - Jucurutu/RN   2º Lugar Matutina Potiguar - 47,6 - Santo Antônio Salto da Onça/RN   3º Lugar A No...

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Sindicato do Comerciários do Rio prepara Semana da Consciência Negra

O Sindicato dos Comerciários do Rio vai realizar esse ano sua primeira Semana da Consciência Negra, com uma série de eventos para celebrar a contribuição dos negros e negras à construção da nacionalidade brasileira. A programação terá início no dia 11/11 (sexta-feira), com um grande baile Charme liderado pelo lendário DJ Corello. “Optamos por abrir a Semana com um baile justamente para conectar os diversos atores da luta pela igualdade racial e da cena cultural do Rio”, explicou o secretário-geral do Sindicato, Marcelo Black.
Na sequência, dois debates serão realizados para promover reflexões sobre a inserção produtiva das negras e negros na sociedade brasileira. No primeiro deles, em 16/11 (quarta-feira), os cientistas sociais Mário Theodoro e Newton Oliveira vão discutir a influência da desigualdade racial e do racismo no mercado de trabalho. No dia seguinte, as especialistas Alessandra Benedito, Ana Rocha e Mônica Custódio vão debater a subvalorização da força de trabalho das mulheres negras. Todos os eventos vão acontecer na sede do Sindicato dos Comerciários do Rio (R. André Cavalcanti, 33 – Lapa).
Confira abaixo a programação completa:
Baile com DJ Corello - Sexta, 11/11, às 20h. Ingresso para o baile: R$ 20 (grátis para sócios);
“Desigualdade racial e o racismo no mercado de trabalho” - Debate com Mário Theodoro e Newton Oliveira. Quarta, 16/11, às 18h. Entrada franca;
“Subvalorização do trabalho da mulher negra, discriminação de raça e sexo” - Debate com Alessandra Benedito e Ana Rocha. Quinta, 17/11, às 18h. Entrada franca.
Zumbi – O Quilombo dos Palmares, em Alagoas, foi um dos principais focos de resistência à escravidão no Brasil. Durante mais de um século, Palmares resistiu aos ataques militares da Coroa Portuguesa. Em 1695, por conta dessa ousadia, Zumbi, seu principal líder, foi morto e teve a cabeça exposta em praça pública. O objetivo dos portugueses era semear o medo entre os negros escravizados. Só que o efeito foi oposto, despertando em muitos a consciência de que era possível rebelar-se contra a escravidão. Em meados do século passado, a figura histórica de Zumbi dos Palmares foi resgatada pela ação dos movimentos negros brasileiros. O 20 de novembro, data de sua morte, passou a ser comemorado em mais de mil cidades brasileiras com o Feriado de Zumbi dos Palmares, e o mês de novembro passou a ser dedicado à reflexão sobre o racismo e outras heranças perversas do nosso passado escravocrata.

CNTE chama trabalhadores para a Greve Geral


A CNTE chama a todos os trabalhadores e trabalhadoras de educação de todo o país para participarem da “Greve Geral” convocada pela CUT e demais centrais sindicais, no próximo dia 11 de novembro.
A mobilização é contra a terceirização, a Lei da Mordaça, a PEC 241 o PLP 257, o PL 4567, a reforma da Previdência, a reforma do Ensino Médio, a flexibilização do contrato de trabalho, a prevalência do negociado sobre o legislado, e em defesa da lei do piso.
De acordo o presidente da CNTE, Roberto Leão, os educadores vão se somar aos demais trabalhadores e dizer que não toleram nenhuma perda de direito. “A luta é também contra a retirada de direitos dos trabalhadores/as, em defesa da escola pública de qualidade e da democracia”, ressaltou.
Fonte: CNTE

Pelas Diretas Já! - JUVENTUDE: Nossa Força, Nossa VOZ!

MEC joga contra ocupações e exige que estudantes saiam das escolas

O Ministério da Educação (MEC) do governo Temer, o mesmo que é pautado por grupos de extrema direita como os Revoltados on Line e MBL, estipulou, mesmo sem estabelecer nenhum tipo de contato com os estudantes, que esta segunda-feira (31) será o prazo limite para que os secundaristas desocupem seus colégios.
O estudantes, que ocupam 1197 mil escolas contra a MP da Reforma do Ensino Médio e a PEC 241, afirmam que só sairão dos seus colégios com a revogação das propostas que irão precarizar mais ainda a educação pública e congelar os investimentos em educação nos próximos 20 anos.
O MEC afirma que, se os secundaristas não saírem do local, medidas judiciais irão ser tomadas, como as reintegrações de posse que dão o aval para policiais entrarem nas escolas e usarem das comuns práticas de violência contra os estudantes. Spray de pimenta, cassetes, bombas de gás lacrimogênio e armas de fogo serão mais uma vez usadas contra os alunos que se recusam a aceitar o falecimento das escolas públicas.
Táticas para colocar a opinião pública contrária às ocupações
Uma das reivindicações do movimento de ocupação é que o MEC realoque os estudantes que farão a prova do Enem nas escolas ocupadas para outras unidades, porém, com uma carta na manga para colocar a opinião pública contrária as ocupações, o ministério disse que os estudantes com provas nos locais ocupados terão suas avaliações adiadas até que os secundaristas desocupem o locais.
“Caso as ocupações sejam mantidas, prejudicando os alunos que fariam prova nesses locais, o Inep terá de fazer a prova em outra data para aqueles estudantes que não conseguiram”, disse o MEC, em uma clara tentativa de colocar os estudantes uns contra os outros.
Seguindo o exemplo do bom diálogo, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Paraná, acatou a reivindicação dos estudantes, transferindo os locais de votação no segundo turno para outros colégios que não estão ocupados, inclusive fornecendo ônibus para o deslocamento dos eleitores.
Até o momento, a orientação do movimento é que nenhuma escola seja desocupada por ordem do MEC, mas sim se o governo se basear no diálogo e na revogação do pacote de desmonte da educação, o que não ocorreu até o momento.
Com informações do Portal Vermelho